Paróquia celebra os seus 50 Anos na Novena a N.S.Auxiliadora

Porque uma novena? Porque a oração é a força do homem que faz estremecer o coração de Deus, porque “nada é mais poderoso do que um homem que reza”.

Assim sendo, a alegria em participar da Novena de Nossa Senhora Auxiliadora foi um presente para nossa Paróquia. Comemoramos os 50 anos de forma especial, na característica leveza do espírito salesiano, entre os dias 15 a 23 de maio, numa linda festa de amizade, carinho e partilha.

Com o tema Maria na Igreja de Cristo, 50 Anos de História, os sacerdotes que por aqui passaram nos ajudaram a percorrer um caminho de fé, acompanhados da solícita e materna companhia de Maria Auxiliadora da Igreja.

Pe. Rafael Galvão Barbosa testemunhou “como é gostoso falar das nossas origens, das minhas origens pessoais e poder fazer parte da Sagrada Família”. Afirmou que, na sua história, alguém teve fundamental importância na sua vocação sacerdotal: Maria Auxiliadora. “Ela me ensinou a olhar para os meus sofrimentos a luz da fé e auxiliou nos meus passos com alegre e fundamental auxílio para as minhas escolhas”.

Dom José Valmor César Teixeira, nosso bispo diocesano, partilhou da alegria de celebrar o Jubileu e demonstrou a sua felicidade por estar numa Paróquia Salesiana. Ressaltou a importância da presença salesiana no início do século XX, lembrou o legado deixado pelo Pe. Rodolfo Komorek até a instalação canônica da Paróquia, em 1968, na época pertencente à Diocese de Taubaté. Ele lembrou a dedicação de salesianos consagrados, das irmãs salesianas e de uma comunidade pujante e envolvente.

Pe. Antonio Maria, com o seu carisma inconfundível, nos fez lembrar de Maria presente no cenáculo com a força para realizar a missão que os apóstolos precisavam. Ela estava plena do Espirito Santo e dos dons de Deus e nos convidou a Recordar e a Renovar a história da Paróquia.  Convidou-nos a ser Luz, Sal e também Açucar na vida do irmão.

 Pe. Justo Ernesto Piccinini nos convocou a decidirmos pela santidade e recordou a nossa vocação fundamental à vivência na amizade com Deus e com seus filhos. Pediu para nunca nos esquecermos da Auxiliadora e a todos os dias, rezarmos e trabalharmos pelas vocações sacerdotais e religiosas, especialmente as salesianas. A graça do Espírito Santo não permite demora!

Pe. Reinaldo Barbosa de Oliveira nos conduziu de forma emocionada através da história da sua vocação pessoal que, nos primeiros anos, se confundiu com a história da Paróquia. Falou dos sacerdotes que por aqui passaram, já falecidos e que aqui plantaram a boa semente salesiana. Dia muito especial. Ele nos impulsionou a renovarmos o nosso amor por D. Bosco.

Pe. André Cunha de F. Torres, com o seu carisma e alegria especiais, nos ajudou a refletir sobre o Espírito Santo que transformou a vida de Maria. Ela cuidava da sua vida e o anjo lhe apareceu e lhe disse como o Senhor a havia escolhido! O Espirito Santo tudo renova, tudo refaz, torna nossa vida diferente daquilo que planejamos. “Quantas vezes fomos iluminados pelas palavras de Deus, fazemos grandes projetos e Ele nos leva a fazer coisas que não queríamos, que não pensávamos, revira a nossa vida e nos renova.”. Ele nos desafiou na aventura de deixar-nos levar pelo Espirito.

Dom Antonio Emídio Vilar falou-nos que tudo é possível ao que crê.  Maria ficou cercada pelos apóstolos no cenáculo, rezando e pedindo pela vinda do Espírito Santo. Ela nos ensina a constância na fé, a fim de não desanimar em um pedido direcionado a Deus. Se a Mãe de Deus, a Mulher sem mancha, a Imaculada, encorajou os apóstolos a rezarem durante nove dias, para receberem o Espírito Santo, devemos aprender a não desistir.

Pe. Alcides Pinto da Silva nos deu uma verdadeira lição de ternura e amor a Maria e com emoção, recordou-nos dos anos que serviu na Paróquia. Convidou-nos a assumir pessoalmente “a missão de anunciar a misericórdia de Deus, coração pulsante do Evangelho”, que por nosso meio deve atingir o coração e a mente de cada pessoa. A primeira missionária, a primeira colaboradora da Trindade Santa é justamente Maria, caminhemos com Ela!

Dom Eduardo Pinheiro da Silva, de maneira simples e didática, nos convidou a tornar-nos uma só coisa com Jesus, ao ponto de ter em nós, os seus próprios sentimentos de acolhida, sem excluir ninguém. Diz sentir-se “em casa” na nossa Paróquia, chamando-nos de amigos, estabeleceu conosco um relacionamento de proximidade, muito simples, direto e forte. Relembrou que, ainda como seminarista, adotou a Senhora Auxiliadora como a sua Mãe, porque estava longe da sua mãe terrena e isso trazia grande conforto nos seus momentos mais difíceis.

Terço

Antes das celebrações a cada dia da Novena, a reza do Santo Terço conduzido pela ADMA ia preparando o coração de toda a comunidade para os momentos tão especiais. Neste simples gesto os fiéis da Paróquia ouviam as orientações do Papa Francisco, que insiste no apelo a rezar. O

Santo Terço é “uma oração contemplativa simples, acessível a todos, jovens e idosos”. Além disso, explica que “na oração do Terço nos dirigimos à Virgem Maria, para que nos conduza sempre mais perto do seu Filho, Jesus, para conhecê-Lo e amá-Lo sempre mais”.

Foi maravilhoso celebrar com Nossa Senhora todos estes dias e no dia 24 de maio, com a presença do Cardeal João Orani Tempesta, Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, pudemos coroar a nossa Mãe Querida.

Inúmeras graças e testemunhos temos para partilhar. Obrigada Pe. Silvio por nos conduzir por estes caminhos tão ricos de graças!

Tania Campos – Coordenadora da ADMA

FOTOS DA NOVENA

PRIMEIRO DIA – PE. RAFAEL GALVÃO
SEGUNDO DIA – DOM CESAR
TERCEIRO DIA – PE. ANTONIO MARIA
QUARTO DIA – PE. JUSTO PICCININI
QUINTO DIA – PE. REINALDO BARBOSA
SEXTO DIA – PE. ANDRE TORRES
SÉTIMO DIA – DOM ANTONIO EMIDIO VILAR
OITAVO DIA – PE. ALCIDES SILVA 
NONO DIA – DOM EDUARDO PINHEIRO
FESTA DE N.S.AUXILIADORA – DOM ORANI TEMPESTA

Compartilhe no Whatsapp !
Compartilhar