São José dos Campos, 26 de Novembro de 2014

Relicário Padre Rodolfo


Localizado dentro do espaço físico da Paróquia Sagrada Família, o Museu e Relicário do Padre Rodolfo Komórek guarda desde 1983 os objetos pessoais do padre.
Rodolfo Komórek nasceu em 11 de outubro de 1890 na cidade de Bielsko, na Polônia, e foi ordenado sacerdote diocesano em 1913. O padre chegou ao Brasil em 1924, após ter servido como capelão militar durante a 1ª Guerra Mundial. Por sua coragem e devoção, foi condecorado pelo governo austríaco e pela Cruz Vermelha.

Antes de chegar ao Vale do Paraíba, Padre Rodolfo trabalhou no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rio de Janeiro. 
Na década de 1940 o padre foi para a congregação de São Fransisco de Sales, em Lavrinhas. Na mesma época, começaram os primeiros sintomas da tuberculose. Ele foi enviado para São José dos Campos porque a cidade era uma estância de tratamento.

Em São José, o padre foi examinado pelo médico Nelson D'Avila, que teria se surpreendido com a gravidade de sua doença e recomendado repouso absoluto. O médico teria dado a ele três meses de vida, mas ele viveu ainda nove anos.
Contrariando as ordens médicas, padre Rodolfo realizava todos os dias uma procissão particular pela cidade, oferecendo assistência aos doentes e realizando missas na capela do sanatório Vicentina Aranha. O padre teria realizado curas milagrosas e outros sinais, que acenderam a hipótese sobre sua santidade.

O Padre Rodolfo Komórek faleceu no dia 11 de dezembro de 1949, aos 58 anos de idade, em um quarto do sanatório Vicentina Aranha. O fato causou grande comoção popular e foi notícia em todo o Vale do Paraíba.

Logo após a morte de Rodolfo Komórek, os devotos do "Santo Padre", começaram a reunir evidências para o processo de beatificação, aberto na década de 1960.
Padre Rodolfo já alcançou o título de 'venerável', mas o processo de sua beatificação ainda está em andamento.

O Relicário de Padre Rodolfo Komórek reúne um acervo que conta com as roupas, fotos, livros, documentos e até a radiografia do pulmão tuberculoso do padre considerado santo.

Museu e Relicário do Padre Rodolfo Komórek. Rua Padre Rodolfo, 28, Vila Ema.

© Copyright 2010, Paróquia Sagrada Família. Todos os Direitos Reservados.

Desenvolvimento: